Silêncios

fores

Somos ensinados a temer o silêncio.
É só ver os filmes de terror, quando a cena fica mais silenciosa é que vai aparecer o monstro. Na escola ficar em silêncio é chato, forçado. Se estamos em um grupo de pessoas e de repente as conversas param,o silêncio se torna incômodo. O normal é acharmos que quando tudo está muito quieto algo de ruim vai acontecer, algo está faltando ou fizemos algo errado.
E quando estamos em um relacionamento, então? Muita gente acha que ficar ao lado do outro em silêncio é sinal claro da proximidade do fim, instalação da rotina entediante e marca do desamor.
Acontece que precisamos de silêncios, principalmente em um mundo cada vez mais cheio de ruídos, distrações, com tão pouco tempo para refletir e escutar os próprios pensamentos. É em silêncio que podemos observar melhor o mundo e nos deixar surpreender. É em silêncio que podemos refletir.
A verdadeira intimidade, quando ficamos confortáveis de verdade com outra pessoa, deseja o silêncio. Entende a diferença entre ficar quieto e não ter ou não querer dizer nada. Podemos ter grandes diálogos com pessoas queridas sem dizer uma só palavra, apenas nos deixando estar junto, sem falar.
Acalme a ansiedade, aprenda a se divertir com os momentos silenciosos. E se você puder, fique um pouco sozinho, em silêncio, se dê o presente de não ter que preencher todos os momentos com palavras e se permita ser surpreendido pelo ritmo dos seus silêncios, das batidas do seu coração, sua respiração. Deixe os pensamentos correrem livres.
Não tema o silêncio. Tema o barulho sem significado, as relações que precisam sempre que alguém esteja falando, desesperado, em que não podemos simplesmente nos sentir juntos sem precisar declara o amor o tempo todo. Tema as palavras vazias, o falar o tempo todo sem dizer nada, a falta de pausas, o ritmo acelerado demais que deprime, escraviza, incomoda. Tema a incapacidade de ficar bem consigo mesmo.
Permita - se o simples.
E simplesmente esteja. Observe.
Em silêncio.
porteu Carolina de Biagi é consultora de estilo e formada em organização de casamentos pelo SENAC. Além de escrever pro blog O Pedido, ela também escreve sobre estilo, moda e auto - estima no blog Um Unicórnio Fashionista. (www.umunicorniofashionista.wordpress.com) e no Volta, Carolina ( www.voltacarolina.wordpress.com)